Seguidores

quarta-feira, 18 de abril de 2012

2

Sequência didática



Como trabalhar com as fases de aquisição da escrita


Com sondagem das fases de aquisição da escrita dos seus alunos, você pode desenvolver uma série de atividades que auxiliam no confronto e avanços das hipóteses de escrita dos alunos.

Aqui estão algumas sugestões:

ESCRITA PRE-SILÁBICA
• Iniciar pelos nomes dos alfabetizandos escritos em crachás, listados no quadro e/ou em cartazes.
• Trabalhar com textos conhecidos de memória, para ajudar na conservação da escrita.
• Identificar o próprio nome e depois o de cada colega, percebendo que nomes maiores podem pertencer às crianças menores e vice-versa;
• Organizar os nomes em ordem alfabética, ou em “galerias” ilustradas com retratos ou desenhos;
• Criar jogos com os nomes: “lá vai a barquinha”, dominó, memória, boliche, bingo;
• Fazer contagem das letras e confronto dos nomes;
• Confeccionar gráficos de colunas com os nomes seriados em ordem de tamanho (número de letras).Fazer estas mesmas atividades utilizando palavras do universo dos alfabetizandos: rótulos de produtos conhecidos ou recortes de revistas (propagandas, títulos,palavras conhecidas).
• Classificar os nomes pelo som ou letra inicial, pelo número de letras, registrando-as;

ESCRITA SILÁBICA
• Fazer listas e ditados variados (dos alfabetizandos ausentes e/ou presentes, de livros de histórias, de ingredientes para uma receita, nomes de animais, questões para um projeto).
• Trabalhar com textos conhecidos de memória, para ajudar na conservação da escrita
• Ditado de palavras do texto. 
• Análise oral e escrita do número de sílaba, sílaba inicial e final das palavras do texto.
• Lista de palavras com a mesma silaba final ou inicial;
• Escrever palavras dado a letra inicial;
• Ligar desenho a primeira letra da palavra;
• Usar jogos e brincadeiras (forca, cruzadinhas, caça-palavras);
• Organizar supermercados e feiras; fazer “dicionário” ilustrado com as palavras aprendidas,diário da turma, relatórios de atividades ou projetos com ilustrações e legendas;
• Propor atividades em dupla (um dita e outro escreve), para reescrita de notícias, histórias,pesquisas, canções, parlendas e trava-línguas.
• Produção de textos, ditados, listas.

ESCRITA SILÁBICA-ALFABÉTICA
• Ordenar frases do texto;
• Completar frases, palavras, sílabas e letras das palavras dotexto;
• Dividir palavras em sílabas;
• Formar palavras a partir de sílabas;
• Ligar palavras ao número de sílabas;
• Produção de textos, ditados, listas.

ESCRITA ALFABÉTICA
• Investir em conversas e debates diários.
• Possibilitar o uso de estratégias de leitura, além da decodificação
• Considerar o “erro” como construtivo e parte do processo de aprendizagem
• Produção coletiva de diversos tipos de textos.
• Análise lingüística das palavras
• Reescrita de texto(individual / coletiva)
• Revisão de texto.
• Atividades de escrita: complete, forca, enigma, stop, cruzadinha, lacunado, caça-palavra.
• Copiar palavras inteiras;
• Contar número de letra ou palavra de uma frase;
• Pintar intervalos entre as palavras;
• Completar letras que faltam de uma palavra;
• Ligar palavras ao número de letras e a letra inicial;
• Circular ou marcar letra inicial ou final;
• Circular ou marcar letras iguais ao seu nome ou palavra-chave.
• Produção de textos, ditados, listas.


Hipóteses da escrita das crianças

As hipóteses (fases) da escrita da criança segundo Emília Ferreiro são:





• Nível 1: Hipótese Pré-Silábica
A criança:
- não estabelece vinculo entre fala e escrita;
- demonstra intenção de escrever através de traçado linear com formas diferentes;
- usa letras do próprio nome ou letras e números d\na mesma palavra;
- caracteriza uma palavra como letra inicial;
- tem leitura global, individual e instável do que escreve: só ela sabe o que quis escrever;

• Nível 2: Intermediário I
A criança:
- começa a ter consciência de que existe alguma relação entre pronuncia e a escrita;
- começa a desvincular a escrita das imagens e os números das letras;
- conserva as hipóteses da quantidade mínima e da variedade de caracteres.

• Nível 3: Hipótese Silábica
A criança:
- já supõe que a escrita representa a fala;
- tenta fonetizar a escrita e dar valor sonoro às letras;
- já supõe que a menor unidade de língua seja a sílaba;
- em frases, pode escrever uma letra para cada palavra.

• Nível 4: Hipótese Silábico-Alfabética ou Intermediário II
A criança:
- inicia a superação da hipótese silábica;
- compreende que a escrita representa o som da fala;
- passa a fazer uma leitura termo a termo; (não global)
- consegue combinar vogais e consoantes numa mesma palavra, numa tentativa de combinar sons, sem tornar, ainda, sua escrita socializável. Por exemplo, CAL para cavalo.

• Nível 5: Hipótese alfabética
A criança:
- compreende que a escrita tem função social;
- compreende o modo de construção do código da escrita;
- omite letras quando mistura as hipóteses alfabética e silábica;
- não tem problemas de escrita no que se refere a conceito;
- não e ortográfica e nem léxica.


Não existe o nível ortográfico. Dizemos que a criança está alfabética, mas possui dificuldades em grafar as palavras corretamente. 

As atividades podem ser: cruzadinhas, agrupamentos de palavras pela dificuldade ortográfica, jogos, uso do dicionário etc.

Sequência didática

O Plano de aula é um aliado do professor, uma vez que é por intermédio do planejamento que o professor vai delinear suas ações para alcançar seus objetivos ao longo de um período. Ele é feito para uma única aula, mas pode estar inserido em uma sequência didática ou em um projeto.

Exemplo de Sequência didática:

Semana de __a __ de Fevereiro

1.    1. Objetivos:
- Socializar as crianças ao novo ambiente;
- Interagir por meio de brincadeiras, músicas, histórias, roda de conversa e atividades relacionadas ao seu nome.
- Elaborar os combinados da classe.

2.   2. Conteúdos:

§ Conversas, relatos de vivências.
§ Nomes dos colegas, da professora.
§ Crachá e cartaz de nomes;
§ Alfabeto;
§ Histórias infantis de livros;
§ Regras de convivência e valores;
§ Observação dos diferentes ambientes do espaço escolar.
§ Brincadeiras
§ A família do aluno.

3. Procedimentos:

2ª feira –  Recepção das crianças.  Minha apresentação e das crianças.
                  Entrega dos crachás e dinâmica de grupo (Quebra-gelo)
       Passeio na escola e suas dependências. Na sala, discussão sobre os combinados.
       Leitura pelo professor: Camila e a volta às aulas.

3ª feira – Roda de conversa sobre o primeiro dia de aula.
                Brincadeiras por meio de cantigas de roda.
                 Jogos com os crachás de nomes.
                Leitura pelo professor: O batalhão das letras e música do alfabeto.


4ª feira – Roda de conversa sobre a rotina da escola e dos combinados.
                 Leitura pelo professor: Curiosidade premiada
                 Atividade envolvendo as expectativas das crianças com relação à escola.
                 Brincadeiras de mímica.
                 
5ª feira –  Roda de conversa sobre a família da criança.
                   Representação da família em forma de desenho.
                   Atividade com cartaz com os nomes das crianças
                   Brincadeiras de roda.
                   Roda de leitura livre.

6ª feira  - Leitura pelo professor: E eu com isso? (respeito)
                 Roda de conversa sobre valores.         
                 Dinâmica de grupo. ( O amor)
      Revisão  dos combinados (cartazes)
      Brincadeiras de roda.

4. Recursos :
- Crachá com o nome;
- Brincadeiras
-cantigas de roda
-jogos
- Hora do Conto –
- Literatura infantil que explore a diversidade e o respeito
- Cartaz coletivo – nomes das crianças
-Cartaz dos combinados

5.  Avaliação:
A avaliação será  contínua, observando o interesse e a participação nas atividades propostas.




Avaliação diagnóstica de 3º, 4º e 5º anos

Para os anos de 3º, 4º e 5º anos a avaliação diagnóstica deve apresentar um texto para leitura e interpretação e uma produção de texto. Também pode-se apresentar vários textos tipo Prova Saresp.

Exemplos:

1. Leitura e Interpretação de texto:

Era uma vez uma árvore que amava um menino.

E todos os dias
o menino
vinha,
juntava
suas
folhas
e com elas fazia
coroas de rei;
com elas brincava
de rei da floresta.

Subia em seu grosso tronco,
balançava-se em seus galhos,
comia suas maçãs.

E brincavam
de esconder.
quando ficava cansado,
o menino repousava
à sua sombra fresquinha.

O menino amava a árvore...
profundamente.
e a árvore era feliz.

Shel Silverstein ( tradução Fernando Sabino)

1. De que fala o texto?
_______________________________________________________

2. Quem o escreveu?
_______________________________________________________

3. Quem o traduziu para nossa língua?
______________________________________________________

4. Onde o menino repousava?
_____________________________________________________

5. Por que a árvore era feliz?
_____________________________________________________


6. É possível um ser humano ser amigo da Natureza? Como podemos fazer isso?
_________________________________________________________

7. Por que é importante cuidarmos da Natureza?
_________________________________________________________


2. Produção de texto

OBSERVE O DESENHO E ESCREVA UMA HISTÓRIA:












_________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Avaliação diagnóstica




AVALIAÇÃO diagnóstica de português - 2º ANO

1.   Ditado de uma lista de palavras:

Os alunos da nossa escola trouxeram  os materiais escolares e junto com a professora fizeram uma lista. escreva as palavras que a professora disser.
_____________________________________
_____________________________________
_____________________________________
_____________________________________
_____________________________________

 2.  escrita  de uma cantiga conhecida:

_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________
           
 3.      LEITURA DE TEXTO

                   PRAIAS LIMPAS

VOCÊ JÁ SABE QUE LUGAR DE LIXO É NO LIXO? PARA FACILITAR AS COISAS QUANDO FOR À PRAIA, LEVE UM SAQUINHO PLÁSTICO PARA JOGAR NELE LIXO, RESTOS DE COMIDA, PAPEL.


O ASSUNTO DO TEXTO É:

(    ) BRINCADEIRAS NA PRAIA
(    ) LIMPEZA NAS PRAIAS
(    ) PASSEIO DE CARRO
(    ) RESTOS DE COMIDA
                                                                                                        
COMO APLICAR A SONDAGEM:

Exemplos:

QUESTÃO 1 (VERIFICAR A ESCRITA)

A PROFESSORA DITA A PALAVRA INTEIRA, NÃO EM SÍLABAS.

LAPISEIRA

CADERNO

LÁPIS

GIZ

O LÁPIS CAIU NO CHÃO.


QUESTÃO 2  (VERIFICAR A ESCRITA)

O ALUNO ESCREVE DO SEU JEITO, SEM A PROFESSORA DITAR UMA PARLENDA CONHECIDA, COMO POR EXEMPLO:

LÁ EM CIMA DO PIANO
TINHA UM COPO DE VENENO
QUEM BEBEU MORREU
O CULPADO NÃO FUI EU.


QUESTÃO 3  (VERIFICAR A LEITURA)
O ALUNO LÊ SOZINHO O TEXTO PARA RESPONDÊ-LO.

Avaliação diagnóstica

É fundamental que no início das aulas seja realizada uma avaliação diagnóstica ou sondagem, para partirmos do que nossos alunos já sabem, tornando assim, nosso ensino muito mais significativo e coerente.
Para iniciar o trabalho, logo nas primeiras semanas de aula, os professores devem realizar “a sondagem” nas classes de alfabetização.
Organizar uma lista de palavras com o mesmo tema. A lista deve ser iniciada com as palavras polissílabas, depois as trissílabas, dissílabas e monossílabas, por último uma frase referente a lista utilizada.  

Como realizar a sondagem:

1- Deve ser realizada individualmente.
2-  O aluno escreve com letra bastão
3- Com a lista de 04 palavras, iniciar sempre na polissílaba para a monossílaba.
5- As palavras devem ser escritas uma embaixo da outra.
6- Após o ditado das quatro palavras, deve-se ditar a frase .
7- Evitar palavras com letras contíguas (Ex: CASA – AA)
8- Não soletrar, não silabar.
9- Ditar cada palavra, pedindo a leitura imediata a cada uma delas, o aluno vai indicando com o dedo a leitura (anotar marcas de leitura).
10- O sulfite é o recurso mais indicado para realização desta atividade.
11- O aluno escreve do jeito que sabe, sem interferência do professor.
Ao término da sondagem, o professor registra no ditado, a forma como o aluno leu (global e/ou silabicamente), a fase de escrita em que se encontra e outras informações importantes. A cada bimestre deve ser realizada uma nova sondagem para verificar os avanços dos alunos.

Exemplos:
  
Lista de animais
DINOSSAURO
CAMELO
RATO
Frase: O RATO SAIU DA TOCA.

Lista de material escolar
LAPISEIRA
CADERNO
LÁPIS
GIZ
Frase: O LÁPIS CAIU NO CHÃO.

A avaliação diagnóstica deve ser feita em todos os anos do ensino fundamental I, especificamente em Português e Matemática, mas deve estar de acordo com os conteúdos específicos de cada série.

0 comentários

2 comentários:

  1. Amei tudo e levarei comigo no meu dia a dia. Obrigada. Eu estarei iniciando o ano letivo dia 02 de maio.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns... amei o seu blog!
    Que Deus te abençoe e te de muita inspiração.

    ResponderExcluir

"A Pedra"

A Pedra

O Distraído nela tropeçou...

O bruto a usou como projetíl.

O empreendedor, usando-a, construiu.

O camponês, cansado da lida, dela fez assento.

Para meninos, foi brinquedo.

Drummond a poetizou.

Já, Davi, matou Golias, e Michelangelo extraiu-lhe a mais bela escultura...
E em todos esses casos, a diferença não esteve na pedra, mas no homem!

Não existe "pedra" no seu caminho que você não possa aproveitá-la para o seu próprio crescimento.


Criado no siteVocê na capa de NOVA ESCOLA.

Apresentação

Olá amigos, vocês devem ter notado que meu blog está em fase de arrumação. mas em breve vocês terão muitas novidades. Agradeço sempre as dicas e tutoriais de outros blogs e sites "parceirões" que eu sigo e adoro, pois é com eles que eu sempre aprendo muito. Não poderia deixar de citá-los: coisinhasdenikita, tonygifsjavas, FlachVortex.com e Blogueiras Unidas, e dicasparablogs. bjs á todos e fiquem com Deus.
Com Carinho, Dihéne